Principe dança uns passos do carimbó

O Príncipe Charles, da Inglaterra, visitou a comunidade Maguari, e participou da dança tradicional amazônica ‘Carimbó’, onde a dançarinha Naiara Sousa dos Santos como parte puxou o príncipe para  ensinar alguns passos criados pelo grupo de dança, e como ele ficou encantado com a cultura da comunidade apreciou o artesanato fabricado por artesãos de Maguari. Outra atividades de seus quatro dias de visita ao Brasil. Milhões de dólares serão investidos na manutenção das florestas tropicais do mundo, por meio de um mecanismo global, com a ajuda de países como a Inglaterra, disposta a contribuir para o desenvolvimento sustentável da Amazônia.

  1. jardson Melo’s avatar

    é isso ai brother,
    agita mais o blog que de vcs, precisa de mais posters..

    Responder

  2. leandro’s avatar

    pao com flem flem rosquinha de giló

    Responder

  3. talita’s avatar

    Ninguém iria imaginar que uma combinação de cetim e renda fosse parar em uma pista de dança e não causasse espanto. Muito menos que os trajes étnicos fossem transformados em peças cult, redesenhados pelo mestre do estilismo. Atrás de exemplos como esses, existe ao longo da história uma pluralidade de modismo e manias, na verdade todo um código e uma simbologia, que se traduzem por uma linguagem não verbal: a das roupas.
    A historiadora inglesa especializada em folclore e literatura infantil Alison Lurie enveredou pelos caminhos da moda e conseguiu ter êxito. Alison Lurie – radicada nos Estados Unidos – conseguiu com o seu fascinante livro A linguagem das roupas identificar os sentidos que se escondem – ou se expõem – através de uma blusa transparente, de uma barba grisalha, da paixão pela cor preta, das peças clonadas aos milhares etc. Com um poder de sedução incrível, Miss Lurie faz um passeio através da história, sem ter a preocupação de começar com a folha de parreira e terminar via satélite. E, por meio desse inusitado tour, a autora vai tecendo e mostrando a gramática de panos e cores, a acentuação de estilos e detalhes, a conjugação do masculino e do feminino, a concordância da juventude e da velhice, os singulares e plurais da sexualidade, os sotaques regionais.

    A linguagem das roupas é um trabalho ímpar, que não requer um carimbo classificatório. Claro que a moda/indumentária é a grande estrela, mas em seus caminhos a autora percorre história, estética, psicologia, ética, artes plásticas, sociologia, comportamento, economia, literatura e outras ciências mais ou menos exatas, na medida em que as roupas exigem. Com estilo leve, sem perder a profundidade de cada observação, com referências preciosas e inumeráveis, A linguagem das roupas tem licença para figurar com destaque em todas as estantes, do estudante de moda ao mais exigente intelectual, do jornalista aos diversos formadores de opinião, do estilista a freqüentadores das colunas sociais, do historiador diletante aos psicanalistas, do ator ao cenógrafo, da feminista pós-moderna às garotas liberadas.

    Com esta obra, ficará fácil aprender as teorias do sociólogo Thorsten Veblen, sobre a clássica trilogia das Leis de Consumo, Desperdício e Ócio Conspículo. E entender, entre outras coisas, por que o luxo explícito é tão forte nas épocas de crise, por que existem roupas consideradas neuróticas, por que as etiquetas ostentatórias provocam frissons em boa par

    Responder

  4. evelyn’s avatar

    nossaaaaaaaaaaaaaaa gostei desse site bjk

    Responder

  5. pamela’s avatar

    EU ACHEI MUITO EMPORTANTE

    Responder

  6. janefer’s avatar

    muito chato

    Responder

Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*